Diamante de Gould

27/03/2011 09:58

Tem o nome cientifico de Poephila gouldiae é da família dos estrildidae e pertence à ordem dos passeriformes. O gould é um dos pássaros mais cobiçados no mundo inteiro por sua delicadeza e lindas cores, no Brasil ainda não é tão conhecido, mas vem abrindo caminho graças a técnicas de criação cada vez mais aprimoradas por vários criadores que vem se dedicando a eles e assim garantindo sua presença em pet shops de todo o pais. Não tenha duvida, se você entrar em uma loja de pássaros e se deparar com um gould dificilmente resistirá em ao menos se aproximar dele e ao se aproximar com certeza vai querer o levar para casa.

Ele foi descoberto e descrito pela primeira vez em 1833 na Austrália, em inglês é conhecido como Lady Gouldian finsh, uma homenagem que seu descobridor o expedicionário, naturalista e ornitólogo, John Gould, fez a sua esposa Elizabeth, quando ela faleceu. Elizabeth era uma. hábil desenhista de pássaros e foi ela quem registrou as primeiras imagens do pássaro, que o casal pesquisou junto em expedições na Austrália realizadas no século XIX.

Alimentação: O gould é um pássaro granívoro, pôr isso deve ser alimentado com sementes, 30% alpiste, 70% de painço, mistura esta que deve ser soprada e reposta todos os dias,   verduras como almeirão, espinafre, ou chicória  podem ser  servidas,  a farinhada é essencial para a boa saúde do pássaro e deve ser servida diariamente, especialmente na época de reprodução e muda de penas, também podemos servir osso de siba, ou casca de ovos de galinha torrada pôr 20 a 30 minutos e triturada, os dois produtos são fontes de cálcio essenciais para os pássaros principalmente na época da postura, quando e em especial as fêmeas precisam de reposição de cálcio. Para completar, uma tigela de areia de rio lavada, deve ser deixada a disposição dos pássaros, a  areia é um elemento muito importante para a saúde dos pássaros. É ótimo para a higiene e para mantê-los em boas condições de saúde, pois contém minerais, cálcio e  auxilia na digestão das aves. Em cativeiro quando tratado corretamente vive de sete a nove anos.

Cuidados: Os diamantes de gould são pássaros delicados e sensíveis, merecendo do seu dono total dedicação e cuidados, principalmente na época de muda de penas, época esta que é sem duvida a mais delicada da vida de um pássaro, onde as perdas podem ser grandes para os criadores se não forem tomados os cuidados necessários. Nesta época o criador deve reforçar a alimentação, ter sempre a mão um energético, como o açúcar de uva, proteger o pássaro de correntes de vento e evitar ao máximo o estresse causado pôr manuseio, barulho e sustos. Sempre que possível manter o menor numero de pássaros na mesma gaiola, evitando assim disputas pôr alimentos e brigas.   

Trocando os ovos:  Em geral, temos que ter cinco casais de Manon para cada casal de exóticos (Diamante Gould, Diamante Sparrow, Star Finsh, Bavette), aumentado a probabilidade de coincidência entre os períodos de reprodução de uma espécie e outra. O processo todo acontece da seguinte forma: coincidindo a postura de ovos do casal de exóticos e de um dos casais de Manon, substitui-se os ovos do Manon pelos da outra espécie. Graças a seu instinto, papai e mamãe Manon chocarão os ovos alienígenas como se fossem seus, sem descuidar dos filhotes durante todo o período de alimentação até chegarem à fase adulta.

Condições ideais para criação: Alguns pássaros são resistentes ao frio, mas a maioria deles e entre eles o gould tem grandes problemas com mudanças bruscas de temperatura, principalmente quando ela cai rapidamente o que é normal nas madrugadas do inverno brasileiro. Nesse caso a presença de uma fonte calor que mantenha uma temperatura razoável e constante é imprescindível para a boa saúde da criação.    Um bom aquecedor não é muito barato, mas, é a solução mais plausível para a solução deste problema. Este deve ser de preferência com termostato automático que mantém a temperatura do ambiente conforme queremos.  Devemos manter em 16 graus de temperatura por ser o pico térmico durante o dia dentro do local onde estão os pássaros, regulando o termostato para 16 graus alem de proporcionar uma temperatura agradável ainda fazemos economia de energia, já que o aquecedor só funcionara quando a temperatura diminui e fica em stand by quando estiver novamente na temperatura desejada. O aquecedor que uso aqui é o Magnun DeLonghi de fabricação italiana. Existem inúmeros tipos de aquecedores que funcionam com resistências elétricas, ventiladores e até ar condicionado, mas esses ressecam e queimam o ar, alem de fazerem barulho o que prejudica os pássaros podendo ser mais prejudiciais até do que se não os usássemos. O aquecedor Magnun DeLonghi é elétrico silencioso e não queima o ar, pois trabalha internamente com um óleo especial que nunca é trocado, alem disso também não cheira como outros aquecedores que dão aquele cheiro de fio queimado, poluindo o ar do ambiente. 

Umidade: Estas aves habitam uma zona úmida da Austrália, mas sempre com temperaturas altas, daí que em cativeiro lhes devemos proporcionar diferentes umidades de acordo com a temperatura  que estão sujeitos. A umidade recomendada é de 55 a 65% para temperaturas da ordem dos 22 graus, e de 65 a 70% para temperaturas superiores.  
Luminosidade: Não é necessária uma intensidade de luz exagerada, na realidade o importante será o tempo de luz que deve ser das 6:00 as 18:00 horas.

Instalações: Gaiolas: para 1 casal, ao menos 50 cm de comprimento x 30 cm de profundidade x 30 cm de altura.  Acessórios: Em gaiolas, 2 poleiros de 10mm de diâmetro, bem afastados e longe das laterais, um bebedouro tipo ampola quatro comedouros tipo meia lua, uma vasilha para banho, dois porta vitaminas do tipo unha(comprido) para farinhada e um ninho tipo caixa de madeira com medidas de 20x20x20.
Reprodução: O macho faz o corte movimentando-se no poleiro, alem de serem facilmente diferenciados das fêmeas pôr eles terem cores muito mais vivas que elas, a cauda do macho também é diferenciada pôr ser mais comprida. Na época de acasalamento é comum o bico do macho tornar-se mais claro e o da fêmea mais escuro.

Com 11 meses pode-se formar os casais de gould, que em normalmente 10 ou 15 dias iniciam a postura. É muito difícil casais de goulds chocarem seus ovos em tempo integral e criarem seus filhotes, na grande maioria das vezes não o fazem. O correto é que usemos manons como amas, em numero de no mínimo cinco casais deles para cada casal de gould. As posturas devem se iniciar no final de fevereiro com um  intervalo de sete a quinze dias do final de uma ao inicio da outra, que não devem ultrapassar um total de cinco para não prejudicar o casal.

Quando os goulds começarem a botar, separe ovo por ovo em um recipiente com palha de painço, quando pararem, passe estes ovos para os manons, todos de uma só vez, para que os filhotes nasçam todos no mesmo dia. Estes ovos devem ser girados ao menos uma vez ao dia, de forma que a face que estava voltada para cima fique para o lado de baixo, e assim consecutivamente, impedindo que a gema venha a se colar a um dos lados internos da casca, o que inutilizaria o ovo.

Ao final da terceira postura dos goulds, separe o macho da fêmea e de um tempo de 15 dias para que eles descansem, depois retorne o casal para mais duas posturas. No final de agosto você deve novamente separa-los para que fiquem fortes para o inicio da muda de penas, período este que depois da época da postura é o mais delicado na vida de um gould. Lembre-se de reforçar a farinhada nestes dois períodos da vida deles e fornecer casca de ovos de galinhas torradas e trituradas, ou osso de siba, para que a fêmea não se desclassifique, areia também é muito importante para a vida de qualquer pássaro e não deve faltar durante todo o ano.

Filhotes: Os ovos eclodem com aproximadamente 15 dias, com 22 dias de vida o filhote deve sair do ninho, ficam independentes entre 40 e 48 dias, com este tempo de vida separe-os dos pais ou da ama para iniciar nova postura. Não é aconselhável mais de 6 posturas pôr ano, sendo o ideal no máximo cinco. Quando casal também choca, fazer no máximo 4 posturas seguidas, por ano. Usar ninho de madeira de 20x20x20x cm. Como forração forneça grama japonesa, grama preta, sisal, capim barba de bode ou raízes de capim.

Faça exames de fezes regularmente na sua ave, pelo menos 2x ao ano. E em qualquer sinal de anormalidade consulte sempre um veterinário especializado.