Agapornis

27/03/2011 09:27

Presentes na África, inclusive Madagascar, são membros pequenos e muito coloridos da família dos papagaios. Sua posição, cabeça contra cabeça, é característica. Também conhecido pássaro do amor, nome comum de qualquer uma das diferentes espécies de aves pequenas, da mesma família dos papagaios, geralmente utilizadas como aves de gaiola, que costumam colocar-se ao lado de seu par com as cabeças juntas.

São oito espécies da ave que compõem um gênero que vive no continente africano e na ilha de Madagascar. Os agapórnis medem entre 13 e 16,5 cm, têm a cabeça grande e a cauda curta. O corpo é verde, azul ou amarelo, com manchas vermelhas, amarelas, cinzentas, azuis ou negras, na cabeça, no pescoço e na cauda. As fêmeas são maiores que os machos. Algumas espécies colocam palha, capim e até pedacinhos de papel entre as penas da cauda para levar ao ninho. As fêmeas geralmente põem seis ovos. Os filhotes, muito dependentes, são criados por ambos os progenitores.

Alimentação: O agapornisé um pássaro granívoro, por isso deve ser alimentado com uma mistura de sementes, 10% girassol, 80% painço, 10% alpiste, mistura esta que deve ser soprada e reposta todos os dias,  verduras como almeirão, espinafre, ou chicória  devem ser  fornecidas pelo menos uma vez por semana,  farinhada é essencial para a boa saúde do pássaro  e deve ser servida e trocada todos os dias, especialmente na época de reprodução e muda de penas, também devemos servir  osso de siba, ou casca de ovos de galinha torrada por 20 a 30 minutos e triturada, os dois produtos são fontes de cálcio essenciais para os pássaros principalmente na época da postura, quando e especial as fêmeas precisam de reposição de cálcio. Para completar, uma tigela de areia de rio lavada, deve ser deixada a disposição dos pássaros, a  areia é um elemento muito importante para a saúde dos pássaros. É ótimo para a higiene e para mantê-los em boas condições de saúde, pois contém minerais, cálcio e  auxilia na digestão das aves.

Cuidados essenciais: A água é um problema, eles sujam muito a banheira que deve ser trocada diariamente. A banheira é importante principalmente para o banho na época da criação, pois ajuda a manter a umidade necessária para que os ovos choquem. Da mesma forma, a gaiola e o poleiro devem estar bem limpos. A bandeja precisa ser limpa com intervalos de um dia e o poleiro uma vez por semana.
Instalações: Gaiolão de 80x50x50cm para um casal. São muito agressivos por isto em viveiro colocar aves da mesma cor e de uma só espécie, mesmo assim podem brigar e chegar a norte. Comedouros e bebedouros de cerâmica vitrificada ou de louça, não tentem colocar os de plástico, pois normalmente eles os roem até o final.

Forração do ninho: Usar ninho tipo caixa. Uma ótima opção são os ninhos de calopsitas por serem maiores. Forrar com palha de milho, palha de vassoura, chorão, capim barba-de-bode, talo de coqueiro ou palha de embalagem de frutas e louças. Os de aro branco preferem roer madeira de pinho (cuidado com os poleiros).

Postura: Põem de 3 a 7 ovos. Eclosão de 22 a 24 dias.

Filhotes: Podemos separar os filhotes dos pais com 60 dias.

Tratando um filhote no bico: São muitos os motivos que por vezes nos obrigam a tratar um filhote no bico, morte dos pais, pais que não os alimentam filhotes refugados, ou até mesmo propositalmente algumas pessoas retiram os filhotes dos ninhos entre 14 e 20 dias antes dos mesmos estarem prontos para se auto alimentar para amansá-los: Alimentar um filhote requer paciência dedicação e responsabilidade, já que apos retirado do ninho ele só terá você para cuidar dele. A alimentação pode ser feita com a ajuda de uma seringa, cheia com uma papa própria para filhotes, encontrada em pet shops ou casas do ramo e deve se iniciar nas primeiras horas da manhã em intervalos de três horas até as dezoito horas. Apos este horário o filhote deve permanecer em repouso sem ser perturbado. Os filhotes vão conseguir se alimentar sozinhos entre 55 e 70 dias de idade.

Faça exames de fezes regularmente na sua ave, pelo menos 2x ao ano. E em qualquer sinal de anormalidade consulte sempre um veterinário especializado.